Jan 072011
 

Starbucks_cupsA compostagem é a melhor solução para o tratamento de resíduos orgânicos e o Starbucks já possui duas plantas nos Estados Unidos que produzem e vendem húmus (utilizado na fertilização de jardins e vendido para o Departamento de Estradas americano). As plantas processam de restos de comida a aparas de grama, embalagens de papelão e guardanapos, mas porém, não reciclam os próprios copos do Starbucks (é inviável economicamente preparar os copos para a compostagem retirando ceras e plásticos de sua superfície)

O negócio parece ser lucrativo (já que o Starbucks é pago pelo recebimento de materiais para reciclagem e ganha com a venda do húmus), mas não resolve a preocupação da empresa (e de seus clientes), com os 3 bilhões de copos que vão parar no lixo anualmente.

Nos Estados Unidos, mais 200 milhões de copos de papel por ano são descartados após um único uso e grande parte destes copos acaba não se decompondo por estarem dentro de sacos de lixo de plástico.

Desde a criação dos copos Starbucks em 1984, a empresa já lançou várias inovações para resolver a questão de reciclagem:

  • criação da manga de cartão para evitar o uso de 2 copos
  • aprovação do uso de parte de material reciclado
  • uso de polipropileno (que emite 45% menos gases efeito estufa do que o polietileno)
  • realizou 2 “Cup Summit” reunindo especialistas, fabricantes de papel e revestimentos, recicladores e acadêmicos para discutir as possibilidades de reciclagem e de sua realização no varejo

Em 2010 o Starbucks convidou a universidade do MIT e o guru organizacional Peter Sengel para auxiliar na questão. O sr. Sengel recomendou uma abordagem mais ampla para discutir o tema, incluindo ONGs, fábricas de papel, prefeituras e competidores (como McDonalds e Dunkin’ Donuts). Como resultado foi lançado um piloto em Chicago onde uma empresa local reciclará os copos das lojas locais transformando-os em guardanapos.
Os críticos recomendam uma abordagem mais radical (e simples?!): eliminar os copos totalmente. Outra sugestão de ONGs é que o Starbucks estabeleça metas claras para a reciclagem de copos e de todas as outras embalagens de bebidas e alimentos vendidas em suas lojas. Nada mais justo! Mas, neste ponto o Starbucks ainda não concordou…

Por outro lado o Starbucks criou várias metas, entre elas:

  • Ter reciclagem disponível em 100% das lojas próprias
  • Servir pelo menos 25% das bebidas em copos reutilizáveis
  • Garantir que 75% dos clientes americanos tenham acesso a locais de reciclagem para copos
  • Reciclar 100% dos copos até 2012. Atuamente, apenas 5% das lojas reciclam copos. Aliás, todas são localizadas em cidades onde a reciclagem é exigida por lei (São Francisco, Seattle e Ontario, por exemplo)

Quase 30 anos se passaram e o desafio continua! De fato, parece que só a legislação tem força para tornar a reciclagem de copos realidade no Starbucks
Além disso, as 8.832 lojas do Starbucks e sua rede de suprimentos internacional afetam muito mais o meio ambiente e a mudança climática do que os copos. Nesta área, entre outras iniciativas, o Starbucks esta buscando o selo LEED para as lojas (leia meu post sobre LEED em http://www.sustentabilidaderesultados.com.br/leed-sustentabilidade-na-construcao-civil/), e comprometeu-se a comprar 100% do café certificado como comércio justo até 2015 (leia meu post sobre rótulos e certificações em http://www.sustentabilidaderesultados.com.br/certificacoes-e-rotulos-sustentaveis/).
E você o que acha? É este o caminho mais sustentável? Eu diria que o mais econômico e simples seria trabalhar com os governos para a criação de redes públicas de compostagem e reciclagem e legislações que exijam sua adoção, e por outro lado, com as empresas para a introdução de produtos reutilizáveis, com refil e de maior vida útil.

Afinal, como concluiu o sr. Senge “… a coisa mais estúpida do mundo é jogar algo fora”.

 
Este post foi baseado no artigo de Anya Kamenetz de oct/2010 da Fast Company. Leia o original em inglês em: http://www.fastcompany.com/magazine/150/a-story-of-starbucks-and-the-limits-of-corporate-sustainability.html

Share

Sobre a autora:

Sueli Chiozzotto é formada em engenharia de produção pela Escola Politécnica da USP, tem MBA pela Universidade da California em Berkeley e é sócia da MGM Partners, onde desenvolve projetos nas áreas de sustentabilidade, responsabilidade e investimentos sociais para empresas, fundações e ONGs.
 January 7, 2011  Posted by on January 7, 2011 Casos, Empresas Tagged with: , , , ,  Add comments

  3 Responses to “Starbucks e a reciclagem de copos…”

  1. […] This post was mentioned on Twitter by Vitória de Oliveira. Vitória de Oliveira said: RT @MudadeIdeia: "@Starbucks e a reciclagem de copos…", leia artigo de Sueli Chiozzotto: http://migre.me/3B417 #sustentabilidade @Suelichi […]

  2. Sueli, Boa tarde!

    Achei interessante material publicado sobre a Starbucks e a reciclagem de copos….
    Iniciamos em 2009 a fabricação de copos de papel aqui no Brasil e desde de meados de 2010, desenvolvemos um copo de papel 100% biodegradavel e compostavel podendo ser reciclado junto com residuos organicos. Esse nosso produto se chama BIOCOPO, caso tenha interesse favor visitar nosso site em fulpel@com.br.

    Coloco-me a disposição para avançarmos nesse assunto caso você tenha interesse.

    Grato,

    Marcos.

  3. Olá Marcos,
    Obrigada pelo comentário, excelente saber que já um copo 100% reciclável! Acho que você deveria tentar apresentar o produto para o Starbucks aqui no Brasil. Sucesso!!!

 Leave a Reply

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

(required)

(required)