Jan 062010
 

Em 1999 o navio italiano Laura D’Amato derramou 300 toneladas de óleo no terminal Gore Bay da Shell em Sydney na Australia.  A Shell operava o terminal desde 1901, recentemente atendendo de 85 a 100 navios por dia, e em várias ocasiões enfrentou questões de stakeholders locais que preferiam manter o terminal para fins de lazer apenas. 

Vazamento de óleo

Arenamontanus

Neste caso a história é de sucesso:  devido ao engajamento com governo e comunidade realizado desde os anos 80, a Shell conseguiu manter o terminal e ainda evitar uma mancha em sua reputação.  A empresa tomou ações importantes junto aos stakeholders, como:

  • Mídia: coletiva de imprensa em apenas 3 horas após o descobrimento do vazamento, 1 release logo a seguir e mais 5 nos próximos 2 dias.  Representantes da empresa ofereceram-se para falar em TVs, rádios e outras mídias durante a crise
  • Governo: na noite do vazamento representantes da empresa contataram representantes importantes do governo, explicando o ocorrido. No dia seguinte ocorreram várias conversas de executivos da Shell (inclusive o CEO) com vários representantes do governo oferecendo apoio nas investigações. Cartas foram enviadas a seguir para follow-up.
  • Comunidade e ONGs locais: na manhã seguinte uma carta do gestor do terminal foi entregue em mãos para a comunidade local. Mais 3 cartas seguiram nos próximos dias. Foram realizadas ligações para ONGs para discutir o acidente.
  • Funcionários: durante a madrugada do acidente, emails e voice-mails foram enviados para todos os funcionários da Shell na Australia, explicando a situação e preparando-os para as questões que pudessem surgir. Durante as semanas seguintes atualizações foram enviadas. Além disso, após a limpeza do vazamento uma carta de agradecimento foi enviada para todos os funcionários e empresas contratadas.
  • Clientes e público em geral: os releases de imprensa foram colocados na Internet e houve contratações para o atendimento de ligações, a central de atendimento estava preparada para responder a questões sobre o acidente.
Para ler o caso completo veja o documento sobre Stakeholder Engagement and the Board em: http://www.ifc.org/
Share

Sobre a autora:

Sueli Chiozzotto é formada em engenharia de produção pela Escola Politécnica da USP, tem MBA pela Universidade da California em Berkeley e é sócia da MGM Partners, onde desenvolve projetos nas áreas de sustentabilidade, responsabilidade e investimentos sociais para empresas, fundações e ONGs.
 January 6, 2010  Posted by on January 6, 2010 Casos, Meio Ambiente Tagged with: , , , ,  Add comments

 Leave a Reply

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

(required)

(required)