Jan 202017
 

Há muito se estuda o impacto da sustentabilidade corporativa sobre os resultados financeiros e competitivos da empresas, e de fato, há indícios de que estes são positivos.

Não é à toa que inúmeras empresas no Brasil e no mundo investem em produtos para reduzir sua pegada ecológica, desenvolvem modelos de negócios, serviços e produtos sustentáveis, introduzem processos de governança e transparência, aplicam a redução de custos focada na sustentabilidade e buscam a redução de riscos (devido à potenciais impactos negativos de extração, produção, distribuição e uso de produtos e serviços), para mencionar apenas algumas iniciativas empresarias em busca dos louros da sustentabilidade.

Nem sempre é óbvio ligar causa a efeito, mas, de fato o ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial), criado pela BM&FBOVESPA em 2005 (inicialmente financiado pelo International Finance Corporation, IFC — órgão ligado ao Banco Mundial — seguindo metodologia do Centro de Estudos em Sustentabilidade da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas, FGV-EAESP), apresentou rentabilidade acumulada de +145,4% vs. 94,1% do Ibovespa (base: 22/nov/16) e volatidade quase 3% menor, segundo dados da BM&FBOVESPA.

Lembrando que o ISE é a ferramenta de análise comparativa de desempenho de empresas listadas na Bolsa sob o aspecto da sustentabilidade corporativa, considerando uma avaliação quantitativa (respostas do questionário) e qualitativa (envio de documentos comprobatórios de forma amostral), referentes as seguintes respostas:

  1. Ambientais
  2. Sociais
  3. Econômico-Financeiras
  4. Governança Corporativa
  5. Gerais
  6. Natureza do Produto
  7. Mudanças Climáticas

Para 2017, 200 empresas com as ações mais líquidas da Bolsa foram convidadas à participar e somente 34 farão parte do índice (com 38 ações), e é importante mencionar que este foi o 1o. ano com questões sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Leia mais em: ISE BM&FBOVESPA

Mundo afora alguns dos indicadores mais conhecidos e que atraem cada vez mais investidores são: o Dow Jones Sustainability Index e o FTSE for Good

Portanto, se sua empresa está na busca por resultados objetivos com relação à sustentabilidade, talvez valha a pena considerar como objeto de análise as metodologias envolvidas nestes índices e os resultados das empresas participantes.

Conte conosco da MGM Partners para analisar, avaliar, melhorar, decidir e implementar estratégias onde a sustentabilidade cria valor para seu negócio e seus públicos de interesse, pois, temos certeza que este é um caminho sem volta. Entre em contato!

pub-1943709444229966
Share

Sobre a autora:

Sueli Chiozzotto é formada em engenharia de produção pela Escola Politécnica da USP, tem MBA pela Universidade da California em Berkeley e é sócia da MGM Partners, onde desenvolve projetos nas áreas de sustentabilidade, responsabilidade e investimentos sociais para empresas, fundações e ONGs.

 Leave a Reply

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

(required)

(required)