Jun 252010
 
Gases efeito estufa

nick russill

O Carbon Disclosure Project (CDP) é uma organização sem fins lucrativos criada em 2000 e atualmente patrocinada por 534 investidores institucionais e mais 60 organizações (entre elas Pepsico, Walmart e Cadbury). O CDP busca acelerar soluções para a mudança climática através da manutenção de um padrão de relatório e de uma base de dados referentes a emissões de carbono e gases efeito estufa, além de respectivas estratégias corporativas. A base de dados contém informações de 2.500 organizações em 60 países. O CDP desenvolve 4 programas principais:

  • CDP Cadeia de Suprimentos: estuda o impacto na mudança climática das cadeias de negócios de corporações globais, incentivando que seus fornecedores meçam e reportem suas emissões e estratégias. Este programa conta com 50 membros, incluindo, entre outros: Bradesco, Colgate-Palmolive, IBM, Danone, Dell, HP, Johnson & Johnson, Nestlé, Pepsico, Sony e Unilever. As empresas participantes também se beneficiam de:
    •  Troca de melhores práticas
    • Acesso as base de dados
    • Ferramentas e suporte do CDP
  • CDP Investidor: coleta informações de organizações no mundo todo para apoiar as decisões de investimentos dos fundos patrocinadores.
  • CDP Compras Públicas: estuda o impacto na mudança climática das cadeias de suprimentos de governos locais e nacionais.
  • CDP Relato sobre Água: trabalho com as maiores corporações mundiais sobre dados  relacionados a água.

O CDP tem escritórios em vários países, inclusive no Brasil. Na 7ª solicitação de informações para empresas brasileiras (em fev/2009), 78% das empresas responderam, totalizando 72 empresas respondentes. Apesar disso, as respostas evoluíram pouco e oscilaram entre boa compreensão sobre mudança climática e compreensão incipiente, indicando como oportunidades de melhoria:

  • Melhor qualidade de respostas
  • Mapeamento das emissões da cadeia de suprimentos
  • Melhor governança para tratamento do tema
  • Incorporação nas estratégias de sustentabilidade no curto, médio e longo prazo
  • Formulação de metas para redução de emissões
O relatório de 2009 sobre o Brasil esta disponível em português no site da CDP:
https://www.cdproject.net/CDPResults/CDP_2009-Brazil_Report_Full.pdf

Além disso, o Brasil também conta com uma iniciativa própria para contabilização de gases efeito estufa (GEE), o Programa Brasileiro GHG Protocol, criada pelo World Resources Institute (WRI) em parceria com o World Business Council for Sustainable Development (WBCSD). A ferramenta brasileira permite determinar as fontes de GEE nas atividades produtivas das empresas e a quantidade de GEE lançada à atmosfera. Além disso, é modular, flexível, neutra em termos de políticas e programas, compatível com normas ISO e metodologias do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC), e sua aplicação é adaptada ao contexto brasileiro, permitindo que as informações geradas sejam aplicadas nos relatórios do CDP, Global Reporting Initiative (GRI) e Índice Bovespa de Sustentabilidade Empresarial (ISE).

Entre os membros fundadores do GHG Protocol (27 empresas que aderiram ao programa em 2008) estão: Abril, Alcoa, AmBev, Banco do Brasil, Bradesco, Embraer, Natura, O Boticário, Petrobrás, Sadia, Santander, Suzano, Itaú Unibanco e Whirlpool. As empresas participantes do GHG Protocol beneficiam-se de:

  • Treinamento para cálculo, publicação e divulgação de seu inventário
  • Participação na formulação de políticas públicas
  • Possibilidade de participação no mercado de carbono
  • Prevenção em relação a potenciais legislações e/ou regulamentações futuras

E devem seguir os seguintes passos para estruturar seu inventário:

  1. Definir os limites operacionais e organizacionais do inventário
  2. Coletar dados das atividades que resultam na emissão de GEE
  3. Calcular as emissões
  4. Adotar estratégias de gestão, como aumento de eficiência, projetos para créditos de carbono, introdução de novas linhas de produtos, mudança de fornecedores, etc.
  5. Relatar os resultados

Em 22/jun/2010 o Programa Brasileiro lançou o Registro Público de Emissões, plataforma de inventários corporativos de emissões, e a publicação Especificações do Programa Brasiliero GHG Protocol.

Leia mais sobre este programa brasileiro em:
http://www.ghgprotocolbrasil.com.br/index.php?page=Conteudo&id=5
Share

Sobre a autora:

Sueli Chiozzotto é formada em engenharia de produção pela Escola Politécnica da USP, tem MBA pela Universidade da California em Berkeley e é sócia da MGM Partners, onde desenvolve projetos nas áreas de sustentabilidade, responsabilidade e investimentos sociais para empresas, fundações e ONGs.
 June 25, 2010  Posted by on June 25, 2010 Meio Ambiente, ONGs Tagged with: , , ,  Add comments

  2 Responses to “Mudanças Climáticas: inventários e relatórios empresariais”

  1. O GHG tambem classifica as organizacoes conforme seu nivel de adesao ao protocolo, os niveis sao:
    – Bronze: analise parcial das operacoes
    – Prata: analise total das operacoes
    – Ouro: analise total com verificacao externa (por terceiro independente) dos relatorios de emissoes

  2. […] Eu também já escrevi sobre o programa brasileiro do GHG Protocol (criado em maio de 2008), portanto, se quiser saber mais, acesse:  http://www.sustentabilidaderesultados.com.br/mudancas-climaticas-inventarios-e-relatorios-empresaria… […]

 Leave a Reply

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

(required)

(required)