Apr 062011
 

Em 2010 a GE desenvolveu um Encontro da Cadeia de Suprimentos em Xangai, já que a China “representa uma série de desafios que os fabricantes globais enfrentam quando produzindo fora do país de origem.”

Como o site dedicado ao encontro indica: “a indústria chinesa cresceu imensamente na última década, mais rápido do que os controles ambientais e a disponibilidade de gestores capacitados. 30% dos fornecedores da GE cobertos pelo Programa de Orientações sobre a Responsabilidade dos Fornecedores estão na China, mesmo assim mais da metade dos problemas de meio ambiente e de padrões de trabalho foram identificados  lá. Várias fábricas continuam a ter dificuldade com os padrões definidos e com a legislação local, especialmente no que se refere a  horas extras, saúde ocupacional e licenças ambientais”.

Para resolver estas questões o Programa de Suprimentos da GE baseia-se em controle e auditorias intensivas, incluindo avaliações locais realizadas por parceiros independentes. O programa avalia os fornecedores nas seguintes áreas:

  • Meio ambiente
  • Saúde e Segurança
  • Trabalho
  • Direitos humanos
  • Proteção

No encontro algumas questões ficaram claras:

  • Ocasionalmente há um cansaço com o excesso de auditorias
  • Alguns fornecedores reclamaram da falta de orientações dos auditores para que práticas de negócio sejam alteradas e padrões sejam melhorados. Neste sentido, o programa de treinamento e auditora da GE é muito apreciado pelos fornecedores, pois, além de incluir instruções sobre requisitos da legislação local, fornece treinamento no campo seguido por auditoria supervisionada pela própria GE. O “como mudar” é considerado muito importante pelos fabricantes chineses, que assim “entendem a importância de gerenciar os impactos ambientais de suas operações e… percebem como o amadurecimento dos padrões de meio ambiente e trabalho geram melhor reputação, maior moral e eficiência dos trabalhadores e aumento de pedidos.” 
  • Fornecedores mais avançados no processo,  já estão desenvolvendo sistemas de gestão e processos integrados para identificar questões proativamente e tratar riscos.

Além disso, a GE juntou-se a outras multinacionais (entre elas: Wal-Mart, Citibank e Honeywell), para criar em Guangdong o EHS Academy, uma organização sem fins lucrativos com o objetivo de desenvolver trabalhadores mais bem treinados, capacitados nas áreas de meio-ambiente, saúde e segurança profissional e com habilidades técnicas e de gestão para assegurar o desempenho sustentável e integrado à estratégia de negócios e aos sistemas operacionais. Agências reguladoras chinesas também são convidadas a participar desta iniciativa.

Empresas com fábricas espalhadas pelo planeta como a GE, realmente precisam educar e treinar fornecedores e contratados sobre questões sociais e de meio ambiente continuamente. Portanto, se estas iniciativas surtirem os efeitos desejados, o sistema da GE pode tornar-se modelo para uma cadeia de suprimentos responsável, cidadã e mais sustentável. Vamos torcer!

Share

Sobre a autora:

Sueli Chiozzotto é formada em engenharia de produção pela Escola Politécnica da USP, tem MBA pela Universidade da California em Berkeley e é sócia da MGM Partners, onde desenvolve projetos nas áreas de sustentabilidade, responsabilidade e investimentos sociais para empresas, fundações e ONGs.

 Leave a Reply

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

(required)

(required)