Mar 292011
 

Doação onlineDe acordo com Alice Korngold, que recentemente escreveu um artigo para a FastCompany, há uma nova maneira de decidir quais serão os beneficiários dos investimentos sociais corporativos (ou seja, investimentos voluntários filantrópicos das empresas). No passado, afirma a sra. Korngold, os investimentos eram decididos por um pequeno e seleto grupo de executivos que escolhiam as organizações sociais aptas a receberem os recursos das empresas.

Atualmente, diz ela, o crowdsourcing revolucionou este processo. Hoje as empresas buscam indicações de grupos diversos (incluindo entre outros, a própria comunidade, colaboradores, clientes e inovadores sociais) e, em geral, utilizam o investimento social como parte de sua estratégia de responsabilidade social corporativa. Ela considera que além de ser bom para o negócio, o crowdsourcing permite que as decisões sobre os investimentos sejam mais acertadas e, portanto, beneficiam ainda mais as comunidades afetadas.

Uma das maneiras para aplicar o crowdsourcing é a GlobalGiving Foundation (que desde 2002, já arrecadou mais de US$36 milhões entre quase 141 mil doadores, investindo em 3.600 projetos).  A GlobalGiving conecta doadores e causas sociais no mundo todo, através de vários programas online:

  • Identificação e validação de organizações e projetos que combinem com a estratégia corporativa do negócio
  • Criação de programas simples de doação de funcionários, via cartões de crédito e programas de doação conjunta com a empresa (matching)
  • Oferta de cartões de presente com a marca da empresa, permitindo doações mais flexíveis para incentivar funcionários e inovando nos brindes corporativos
  • Apoio para funcionários e públicos de interesse na oferta de ajuda em tempos de crise em qualquer lugar do mundo
  • Desenvolvimento de ferramentas de doação online e soluções baseadas na Internet para campanhas de marketing pela causa
  • Desenvolvimento e execução de desafios para levantar dinheiro e conhecimentos sobre iniciativas sociais do negócio
  • Geração de aplicativos para o site do negócio participar de programas de doação e incentivar ações para causas sociais

Entre as empresas parceiras do GlobalGiving estão Gap, Pepsi (pioneira com o Pepsi Refresh Program), HP, Ford (The Focus Global Test Drive), Eli Lilly (Lilly MDR-TB Partnership), Google, Packard Foundation (Green Open Challenge), World Bank (Urgent Evoke) e Dell.

Executivos da Pepsi mencionaram em vários artigos que o Pepsi Refresh Program, permitiu que a empresa:

  • Ganhasse visibilidade para a marca
  • Estabelecesse relações de longo-prazo com consumidores
  • Aprendesse sobre as prioridades de seus consumidores
  • Pudesse apoiar indivíduos a contribuírem para suas comunidades com suas idéias.

A empresa considera o programa um sucesso e, de acordo com o Wall Street Journal tem planos de expandi-lo para a América Latina e China ainda este ano.

Por outro lado, há críticos das votações para a escolha de beneficiários sociais, como a da Pepsi. Leia artigo em inglês em:  http://3blmedia.com/theCSRfeed/Why-Think-Twice-About-Cause-Voting-Campaigns

Na entrevista com o chefe do programa do GlobalGiving, a sra. KornGold, perguntou o que se deve e o que não se deve fazer quando da definição de uma estratégia de doações, as recomendações do sr. John Hecklinger foram:

  • Deve-se:
  1. Definir objetivos e métricas de sucesso
  2. Definir regras claras e aplicá-las consistentemente
  3. Prover feedback imediato e encorajar a ação
  4. Garantir que o programa estimule a ação desejada e desencoraje o puro jogo
  • Não se deve:
  1. Incentivar os participantes acima de um certo limite razoável
  2. Assumir que o público vai surgir por si só
  3. Não subestimar a necessidade de mediação de conteúdo e de apoio aos participantes

No site do GlobalGiving você também pode inscrever seu projeto e após um processo de analise e votação ele pode ser incluído no banco de dados para recebimento de doações do mundo todo. Vale muito à pena conhecer:  http://www.globalgiving.org/

De fato seria espetacular se organizações com pouca visibilidade e grande impacto conseguissem ampliar suas benesses através de programas deste tipo, melhor ainda se todas as organizações capazes de realizar investimentos sociais, escolhessem um caminho tão transparente e inovador para apoiar causas sociais importantes!

Leia o artigo completo em inglês em:  http://www.fastcompany.com/1723858/crowdsourcing-yesterdayrsquos-corporate-philanthropy-is-todayrsquos-branding-and-community-b

Share

Sobre a autora:

Sueli Chiozzotto é formada em engenharia de produção pela Escola Politécnica da USP, tem MBA pela Universidade da California em Berkeley e é sócia da MGM Partners, onde desenvolve projetos nas áreas de sustentabilidade, responsabilidade e investimentos sociais para empresas, fundações e ONGs.

  2 Responses to “Inovação e investimento social:”

  1. Olá! Boa tarde!

    Gostaria de saber para qual e-mail eu posso enviar sugestões de pauta para vocês. Trabalho fazendo Assessoria de Imprensa nessa área e seria ótimo ter vocês em meu cadastro de veículos de comunicação ligados a Sustentabilidade.

    Favor responder através do email: mvanjosbh@gmail.com

    Aguardo retorno. Obrigado!

    Marcos dos Anjos
    Assessor de Imprensa

  2. Marcos,
    Grata pelo interesse e pela matéria sobre o concurso!

 Leave a Reply

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

(required)

(required)